Lembre o nome delas




Assunto e' meio pesado hoje. Ha 27 anos, no dia 6 de Dezembro de 1989 um homem chamado Marc Lepine entrou na Escola de Engenharia da Universidade de Montreal, carregando um rifle .223. 

Ele entrou na sala 230, separou os homens das mulheres. Mandou os homens saírem da sala e atirou contra as 9 estudantes que estavam na sala, matando 6. 

Quando perguntaram o porque dele fazer isso, ele gritou "Estou aqui para lutar contra o feminismo"

Ele desferiu 100 tiros pela Escola, matou 14 e feriu 10 mulheres. Alem de ferir 4 homens.

Depois ele foi para uma sala e se matou.

Os policiais encontraram fragmentos de uma carta no bolso dele e um dos motivos da chacina foi que ele tentou entrar na Escola de Engenharia, não conseguiu e acreditava que as mulheres que la estavam roubaram a vaga dele.

As estudantes que tiveram sua vida interrompida por esse maniaco foram:

Annie Turcotte, 20 anos;
Geneviève Bergeron, Anne-Marie Edward e Michèle Richard, todas com 21 anos;
Barbara Daigneault, Anne-Marie Lemay e Annie St-Arneault, 22 anos;
Maryse Leclair, Hélène Colgan e Nathalie Croteau, 23 anos;
Maryse Laganière, 25 anos;
Sonia Pelletier, 28 anos;
Maud Haviernick, 29 anos,
e Barbara Klucznik-Widajewicz, 31 anos.

Marc Lepine havia comprado o rifle 2 semanas antes do massacre. Depois disso, o Canada que já possuía leis restritas para compra de armas dificultou ainda mais, exigindo registro federal entre outras restrições.

 Esse post e' so' pra lembrar dessas meninas que podiam ser engenheiras hoje mas foram mortas pelo machismo, por um idiota com uma arma. Existe gente ruim em todos os lugares e em paises serios existem leis para dificultar compra de armas por gente maluca.

Nos Estados Unidos e' mais dificil comprar um Kinder Ovo que uma arma.

O Canada e' um pais que valoriza muito as mulheres. Aqui em Winnipeg, isso e' muito visivel quando esta' se visitando a cidade.




0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, volte sempre!